2ª Feira da Rede de Economias Coletivas no Méier, em 25/07/15, sábado

Posted on 19/07/2015

0



É com muito prazer que convidamos a todas as pessoas para a Segunda Feira da Rede de Economias Coletivas no Méier! O evento será na Praça Agripino Grieco, no Méier, Rio, RJ, a partir das 10h da manhã de sábado 25/07/15 e vai seguir pelo dia inteiro.

A Economia Coletiva tem como centro o ser humano, e não o lucro. Não explora ninguém porque não tem patrão. Trata-se de uma prática que tem como princípios: Autogestão, Democracia, Solidariedade, Cooperação e Respeito à Natureza.

Neste sentido, a prática de movimentos organizados em torno de princípios como autogestão e apoio mútuo vão de encontro à lógica individualista e exploratória do capitalismo, apontando para uma ferramenta de transformação social (e, portanto, um meio, não um fim em si mesmo), onde os movimentos populares podem fortalecer suas lutas. Não podemos esquecer que sem romper com o próprio Capitalismo não haverá uma vida e economia verdadeiramente coletivizadas, pelos limites que este impõe a estas e a outras iniciativas. Assim, o debate gira em torno destas e de outras questões relacionadas, como a autogestão do espaço urbano e a resistência popular e cultural nas favelas e nas áreas periféricas.

A Economia Coletiva é inspirada nos camponeses e indígenas que durante toda sua história fizeram inúmeras experiências de economia coletiva pra produzir e/ou comercializar seus produtos. Nas chamadas “comunidades primitivas”, ninguém era dono dos rios onde os humanos pescavam, das matas onde colhiam as frutas e dos animais que eram caçados para as pessoas se alimentarem. Hoje, frente ao desemprego massivo e diferentes formas de exploração econômica como os juros e a cultura do endividamento, a classe trabalhadora encontra na Economia Coletiva uma alternativa de sustento e de organização.

Grupos presentes: Grupo de Produção Coletiva – Chico Mendes (MCP), Roça Rio, Bazar du Bom, Instituto de Estudos Libertários, Núcleo Pró-Federação Libertária de Educação, Inimigos do Rei, Us Neguin Q Não C Kala, Assembleia Popular do Grande Méier, Organização Popular, Companhia de Teatro Azeviche, Livraria Consequência, Movimento Passe Livre – Rio, Jornal (Re)organise, Use Depois de Ler, Ratos Diversos e Poeta Saia da Gaveta. Apoio: SINDSCOPE, SINDIPETRO-RJ, Cafuné na Laje, Das Lutas e Coletivo de Mídia Independente.

Teremos venda de: roupas, flores artesanais, mudas, produtos de limpeza (sabão feito de óleo saturado, detergente, cloro e amaciante), mel, caldo verde, comida vegana, doces, perfumes, livros, jornais, filmes, camisetas e muito mais. Assim como muita música, poesia, teatro.

Estaremos aceitando doações de óleo de cozinha usado.

11169217_698593790247218_8448343651518608963_n———————————————————————————————-
Como chegar?

Trem:
A praça fica bem próximo à estação de trem do Méier, no início da Rua
Dias da Cruz.

Ônibus:
Do centro: (260 – Praça XV); (239 – Castelo); (247 – Passeio); (249 –
Carioca); (363 – Praça XV).

Da zona sul: (455 – Copacabana) , (456 e 457 – General Osório).

Da Pavuna: 669 (Méier Pavuna), 687, 688,

De Madureira: 653 (Mal Hermes x Méier), (607 Cascadura -Rio Comprido), 363 (Vila Valqueire x Pça XV) , 254 ( Madureira -Pça XV)

Metrô:
Não há estações de Metrô no Méier. As estações mais próximas são de Del Castilho e Maria da Graça, de onde saem vans, kombis ou linhas de ônibus para o Méier que deixam na Rua Dias da Cruz. Uma opção é trocar na Est.Central o metrô pelo trem.

Anúncios
Posted in: cultural, eventos