Tecnologias: quais, por que e para quem

Posted on 03/03/2014

0



(por W. B.)

A ciência trabalha sempre para o benefício da população? Bem, cabe a nós perguntar antes quem financia a ciência em nossa sociedade. Hoje os financiamentos em geral vêm do Estado e da alta burguesia, instituições que – longe de querer o bem do povo – se preocupam em obter para si mais e mais poder e dinheiro, em detrimento das melhorias na sociedade.

Vemos, ao longo de décadas, gastos em tecnologia bélica. Será se o povo precisa disso? É claro que não, quem precisa são governos que, comumente, voltam suas armas contra a população de seu próprio país, ao menor sinal de revolta popular contra a dominação burguesa.

Existe todo um esquema ideológico que tenta nos fazer cúmplices de nossa própria opressão. E esse esquema consiste principalmente na perversa disseminação constante do nacionalismo. Muita gente é levada a estufar o peito e se orgulhar das armas produzidas no Brasil, pelo simples fato de terem sido feitas aqui. Só que, da mesma forma que o aparato bélico estrangeiro, o nacional também é criado para atacar os pobres. E será se um tiro dói menos quando desferido por uma pistola “made in Brazil”?

Durante a ditadura militar brasileira (1964-1985), tentou-se construir por aqui uma bomba atômica – esse fato é público e notório. Houve grande gasto com tal projeto e há, ainda hoje, quem lamente ele não ter sido implementado. Entretanto o dinheiro que o governo desperdiçou com esse e outros aparatos de morte poderia ter sido usado em prol da vida humana. Por que não se utilizou esse dinheiro para empreender pesquisas na área de saúde, por exemplo, visando erradicar moléstias que até hoje, em pleno século 21, a Medicina vergonhosamente ainda qualifica como incuráveis?

Imagem

Mesmo atualmente vemos o governo (agora dito democrático) despender fortunas em pesquisas na área de energia nuclear. Os defensores de tal energia dizem que ela é a única capaz de se contrapor às termoelétricas e hidrelétricas que causam impacto ambiental. Mas a história também já nos demonstrou tragicamente o tipo de impacto que a energia nuclear pode trazer, nos casos de acidentes nas usinas nucleares de Three Mille Island (EUA em março/1979), Chernobyl (URSS, abril/1986) e Fukushima (Japão, março/2011).

Imagem

Se os governos pegassem os recursos hoje usados em pesquisas na área de energia nuclear e passassem a usá-los no desenvolvimento de outras formas de obtenção de energia, com certeza já teríamos eletricidade oriunda de mil outros meios realmente limpos e benéficos ao povo.

Imagem

Porém o governo e os grandes conglomerados econômicos preferem impulsionar a ciência sempre na mesma direção – uma direção que proporcione lucro às elites que já se beneficiam com a atual política energética baseada no petróleo, carvão e material nuclear. É hora de parar de gastar grana na exploração desses materiais que já se mostraram nocivos, e passar a usá-la em favor de uma ciência benéfica ao povo e ao planeta como um todo.

 Imagem

Fontes:

1) http://outroladodanoticia.wordpress.com/2009/04/02/ditadura-militar-queria-construir-bomba-atomica/;

2) http://pt.wikipedia.org/wiki/Acidente_nuclear_de_Chernobil

Anúncios