OP apoia o Bloco da Ceguinha 2014

Posted on 01/02/2014

0



Na quarta-feira 26 de fevereiro às 17h em frente ao fórum central do Tribunal de Justiça (Av. Erasmo Braga, 115, Centro da cidade do Rio de Janeiro), irá se concentrar o Bloco da Ceguinha – o nome é uma referência jocosa à deusa da justiça, retratada tradicionalmente com os olhos vendados. Hoje ele é uma iniciativa do Centro de Estudos Socialistas dos Trabalhadores do Judiciário (CESTRAJU) e busca protestar de forma bem humorada contra os descalabros da “justiça” burguesa.

Os poderes executivo e legislativo ficaram na berlinda desde que manifestações de rua se intensificaram no Brasil a partir de junho do ano passado. Mas o judiciário foi pouco lembrado nos protestos. Não se pode ignorar o fato de que este é grande legitimador dos desmandos dos políticos. É ele que autorizou: a demolição do Hospital do IASERJ, a desocupação da Aldeia Maracanã, a permanência de manifestantes atrás das grades, a exploração privada do estádio Maracanã, o corte de ponto de grevistas etc. Também é o judiciário que demora décadas pra julgar processos de regularização fundiária de favelas e ocupações urbanas, além de emitir liminares sustando decisões de manutenção de posse, para, assim, remover favelas e despejar sem-tetos.

O TJ soube ainda aproveitar o esvaziamento dos protestos e as festas do fim do ano de 2013 para aprovar um escandaloso auxílio-moradia aos seus juízes e desembargadores. Encaminhado no dia 12 de dezembro passado, o projeto foi aprovado na ALERJ (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) no dia 18 e sancionado pelo governador Sérgio Cabral no dia 23, tendo recebido um descabido “pedido de urgência” visando sua aprovação a toque de caixa, para evitar questionamentos do povo sobre esse “auxílio” vergonhoso (que soma cerca de R$5.000,00 – cinco mil reais – mensais para cada juiz ou desembargador, alguns dos quais já recebiam montantes que chegavam a ultrapassar 90 mil reais por mês!!!).

Não é só no Rio que esse quadro surreal se apresenta. Em Minas Gerais, por exemplo, já está em pauta um absurdo “auxílio-livro” de R$13.000,00 (treze mil reais) para os magistrados, dentre outros privilégios. Enquanto isso o povo continua sem acesso a cultura, educação, saneamento básico, saúde pública de qualidade…

Por essas e outras é essencial participarmos de iniciativas como essa do Bloco da Ceguinha. Tal evento (que também é uma maneira de valorizar o Carnaval democrático, popular, livre, bem diferente da festa elitista hoje promovida em clubes burgueses e sambódromo) é especialmente importante por ser um protesto irreverente, uma denúncia chamativa, uma divertida e prazerosa forma de conscientização de classe.

Vai ter Carnaval mas não vai ter Copa!

Aliás, o caráter classista do bloco é bastante claro, já que ele é puxado exclusivamente por trabalhadoras e trabalhadores, sem nenhum patrocínio estatal ou empresarial. O apoio, portanto, tem que ser dado aí por você que está lendo esse texto. Venha, divulgue, nós podemos fazer a diferença.
Anote aí em sua agenda:

Bloco da Ceguinha – em frente ao fórum central do Tribunal de Justiça, na Av. Erasmo Braga, 115, Centro, Rio, quarta-feira 26 de fevereiro, a partir das 17h.

Anúncios