Bloco da Ceguinha 2013

Posted on 13/02/2013

0



 Na quarta-feira 06/02/13 às 18h ocorreu o já tradicional Bloco da Ceguinha, em frente ao fórum central do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, no centro da capital fluminense. Além de confraternização, trata-se também duma forma bem humorada de protestar contra a opressão do tribunal sobre os trabalhadores.   O TJ nega uma série de direitos a seus servidores, mas dá privilégios aos montes a juízes e desembargadores: supersalários já amplamente divulgados pela mídia, muito acima do teto remuneratório estabelecido pela constituição; auxílio-refeição, apelidado auxílio-glutão. E já há projeto de lei que seria encaminhado à assembleia legislativa do estado propondo a inclusão, entre as regalias, dum auxílio moradia, já chamado auxílio-mansão.

O TJ contratou a empresa Locanty, acusada de corrupção, para lhe prestar serviço. Da mesma forma ele fez em relação à já conhecida Delta, que construiu vários prédios do judiciário fluminense, um dos quais tremeu à beça no último ano, deixando servidores apavorados.   Lamentavelmente a atual direção do Sind-justiça extinguiu oficialmente o Bloco da Ceguinha, provavelmente para não ferir “suscetibilidades” de juízes, desembargadores e supostamente “atrapalhar” negociações com a Presidência do Tribunal. Porém trabalhadoras e trabalhadores, independentes da atual direção do sindicato, conseguiram se articular e “ressuscitar a ceguinha”.

Agora o bloco foi puxado pelo recém-fundado CESTRAJU (Centro de Estudos Socialistas dos Trabalhadores do Judiciário), que reúne majoritariamente um pessoal ligado ao MOS (Movimento de Oposição Serventuária). Mas a participação se estendeu a diversos lutadores da categoria e até de fora dela.  Estiveram presentes na atividade militantes da nossa Organização Popular (OP-RJ), a saber: companheiro da direção do SINDSCOPE (Sindcato de Professores do Colégio Pedro II), integrantes do grupo de base Inimigos do Rei (trabalhadores da Petrobrás), membro do Instituto Histórico da Baixada de Jacarepaguá, além de gente da própria categoria de servidores de judiciário, claro. Uma companheira serventuária, integrante do MOS, aluna do curso Anarquismo e Sindicalismo, promovido pelo SINDSCOPE, se entusiasma com as perspectivas abertas pela tradição libertárias de construção pela base dum tipo de atuação sindical menos burocrática e mais combativa.

É isso aí, gente, devagar estamos colocando nosso bloco na rua. Apoio mútuo e organização! Viva a luta dos trabalhadores!

Anúncios
Posted in: eventos, sindical